Bombeiro Militar expressa sua indignação sobre carga horário no CBM/SE

Bombeiro Militar expressa sua indignação sobre carga horário no CBM/SE
março 27 07:20 2019 Imprimir Conteúdo
Um bombeiro militar encaminhou e-mail para o blog Espaço Militar, expressando sua indignação em relação à carga horária no âmbito do CBMSE, face ao tratamento diferenciado que vem ocorrendo na corporação

. Como é assegurado pela Constituição Federal, o blog se reserva ao direito de preservar sua fonte, para evitar represálias ao militar e transcreve o artigo enviado pelo mesmo:

“Tem praças do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Sergipe quem não sabe mais a quem recorrer, pois estão sendo obrigados a cumprir a carga horária de 180 horas fixas como determina a lei, o problema é que quando excede as 180 não está tendo a devida compensação em folga, pois na lei ficou para ser regulamentada esta compensação para algo além da folga, pagamento se for o caso. 
 
Os praças que tiram expediente tem que tirar 3 serviços de 24 horas para fechar a carga horária completa, diferente dos oficiais superiores onde praticamente todos não chagam nem perto das 130 /140 horas, isso quando o mês tem 5 semanas, pois tiram apenas expediente, que era para ser 6 horas diárias, mas ninguém cobra a entrada ou saída dos mesmos,de segunda a sexta-feira, sendo que terça e quinta-feira é educação física , e chegam na sua maioria esmagadora as 9 horas para começar o expediente, trabalhando apenas 4 horas dias de terças e quintas-feiras. Tem um oficial de sobreaviso por dia de serviço, que é um Major ou Tenente-Coronel, sobreaviso, isso mesmo, parece brincadeira, pois desenvolvemos o serviço ostensivo, fardados e de prontidão, como todos os bombeiros devem , mas os oficiais superiores estão recebendo os dividendos integrais sem cumprir a carga horária, isso parece um dano ao Estado e ninguém vê isso? Somente os praças são obrigados a cumprir a lei e quando ultrapassam não tem a devida compensação? Fica a pergunta.
 
Certo era um ponto digital para a SEPLAG controlar. Nos ajude Espaço Militar, pois aqui nem resposta nós temos do porquê desse tratamento diferenciado, já basta a diferença exorbitante nos salários e na exposição as insalubridades que os praças são obrigados a passar os 30 anos. Enquanto quando um oficial chega a Major é só gabinete! Mas tem que cumprir a carga horária prevista na lei e não lesar o Estado neste momento de crise”.

Desde já o blog Espaço Militar agradece pela confiança depositada.
Matéria do blog Espaço Militar
  Editoria: