Bombeiras militares de Sergipe abraçam a Campanha Outubro Rosa

Bombeiras militares de Sergipe abraçam a Campanha Outubro Rosa
novembro 01 06:40 2018 Imprimir Conteúdo

Neste ano, além de palestras, foi realizada uma marcha com a entrega de panfletos nas ruas

De capacete na mão, coturno, calça usada no combate a incêndio e camisa rosa, bombeiras militares de Sergipe estenderam, na manhã desta quarta-feira, 31, suas ações de prevenção e salvamento para conscientizar mulheres sobre a importância do autoexame e do diagnóstico precoce do câncer de mama, em apoio à Campanha Outubro Rosa.

Elas realizaram uma marcha e distribuíram panfletos no Calçadão da Rua João Pessoa, no Centro de Aracaju, com o objetivo de chamar a atenção para esse problema, que deve atingir, só este ano, 60 mil mulheres, segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Para a assessora de comunicação do CBMSE, capitã BM Flávia Emanuela Cruz, ações como esta são imprescindíveis para estimular a luta contra a doença. “Todos os anos, nós aderimos à Campanha, realizando palestras e encontros para nosso público interno. Este ano, além da palestra, tivemos a ideia de sair às ruas para alertar outras mulheres. Precisamos de ações mais efetivas, que ajudem a prevenir e combater o problema. Já perdemos uma jovem e brilhante companheira de farda para o câncer de mama, em 2015. Não queremos que esta dor se repita”, diz a capitã.

Além de alertar a sociedade, as bombeiras militares participaram, no quartel do comando geral, de uma palestra com a médica major Alessandra Aleixo, que falou sobre fatores de risco, ações preventivas, diagnóstico e tratamento do câncer de mama e do câncer do colo do útero.

A médica mostrou os métodos de rastreio de câncer de mama, tais como autoexame, exame físico, mamografia, ultrassonografia mamária e ressonância. “O autoexame deve ser feito mensalmente, após a menstruação. O exame físico é anual, feito por médicos, a partir de 25 anos. Quanto à mamografia, o rastreamento é feito a partir dos 40 anos, mas se as mulheres têm alto risco, com histórico na família, por exemplo, devem fazer já a partir dos 30 anos”, afirma.

Ela também falou sobre o diagnóstico do câncer do colo do útero e ressaltou a importância do evento. “Percebe-se que o público feminino nas corporações militares está cada vez maior. E como somos elos entre o sistema de segurança pública e a população, temos como ser multiplicadoras de informações e opiniões. Então um evento como este é muito importante, pois além de estimularmos nossas profissionais para se prevenirem, podemos levar essas orientações à sociedade em geral”, reforça a major.

O subtenente BM Josival de Melo, viúvo de Fernanda, militar citada pela capitã, também participou do evento, dando seu depoimento sobre ter vivenciado de perto a dor de perder a esposa, vítima da doença. “Vim aqui dizer para todas vocês que é necessário se prevenir. Quero aconselhar todas as mulheres sobre o tema, pois o nosso corpo é um conjunto, que, para funcionar bem, precisa estar com todas as partes saudáveis. Temos que nos antecipar para combater determinadas situações ruins que possam vim a acontecer futuramente. Não podemos deixar para depois o ato de se cuidar”.

A dona de casa Maria Dirlene estava no calçadão durante a ação e parabenizou o Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) pela atitude. “Gostei muito da iniciativa. É um serviço a mais para nós mulheres, pois a maioria esquece de fazer exames e prevenir doenças. Inclusive acabei de fazer o exame de mama. Estão de parabéns”, disse.

Além do evento em alusão à Campanha, o CBMSE iluminou de rosa a fachada do quartel do comando geral.

Assessoria de Comunicação Social da SSP/SE

  Editoria: