Autismo foi tema do Sarau no Coreto em Monte Alegre de Sergipe

Autismo foi tema do Sarau no Coreto em Monte Alegre de Sergipe
maio 02 09:47 2022

 

Na noite deste sábado, 30/04/22, ocorreu a 56ª edição do Sarau no Coreto, Monte Alegre de Sergipe. O Sarau no Coreto é um Patrimônio Cultural e Imaterial do município e desde o seu início, em 2017, vem discutindo temas importantes que permeiam a sociedade. Nesta edição o tema abordado foi “Autismo: vamos acender a luz azul em Monte Alegre de Sergipe”.

O autismo, ou melhor, o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é uma condição de saúde caracterizada por déficit na comunicação social e comportamental que advém de fatores genéticos, porém muitos pais e mães não sabem identificar e nem cuidar dos(as) filhos(as) autistas, devido à falta de informações ou até mesmo o preconceito.

Com o intuito de quebrar as barreiras que ainda existem na sociedade, resolvemos atender a demanda trazida pela mãe do pequeno Benjamim, criança autista, Suely. Cabe salientar que o Sarau no Coreto é um espaço plural e de conscientização.

A edição iniciou com um passeio ciclístico organizado pela professora Jaqueline. Em seguida, o público presente conheceu mais sobre o autismo através da fala de mães, jovens e especialistas. As mães de filhos autistas Ana Paula, Martha Danielly e Suely trouxeram relatos desde a identificação de um comportamento diferente de outras crianças nos primeiros anos de nascimento dos seus filhos, passando pelo processo de diagnóstico e a busca de conhecimento, através de cursos, para saberem cuidar dos filhos.

A voz autista de Isac e Gustavo nos mostrou como precisamos, urgentemente, acolher o diferente, pois ser diferente não é motivo de isolamento e sim de acolhimento, porque quando acolhemos nos tornamos mais humanos. Isac, criança monte-alegrense, com sua leveza, nos mostrou sua habilidade com a música e com a escrita de histórias. Gustavo, jovem de Santa Rosa do Ermírio, apresentou o percurso de sua trajetória de vida, nos alertando sobre a necessidade e importância de crianças e jovens autistas frequentarem os bancos escolas e que nossas escolas sejam espaços acolhedores. É preciso saber respeitar e acolher.

Os especialistas Rose Santana, psicopedagoga e escritora canindeense, e Odilavineg, psicólogo e vereador do município de Monte Alegre de Sergipe, destacaram a necessidade de haver políticas públicas que possam atender crianças e jovens autistas. Rose falou de sua defesa em prol dos direitos das pessoas com deficiência, incluindo o autismo, no município de Canindé de São Francisco e estado. Além disso, alertou o público quanto ao consumo de alimentos cheios de agrotóxicos, pois eles são uma das causas do aumento do autismo e salientou sobre a mudança do hábito alimentar dos(as) autistas e seus familiares. Odilavineg evidenciou a necessidade de os poderes constituídos criarem políticas públicas voltadas aos/às autistas e pessoas com deficiência. Ainda ressaltou que é preciso combater o preconceito, através de discussões em rodas de conversa como ocorrera no Sarau, porque a visibilidade não torna invisível a causa.

Houve recitação de poemas com as jovens Kerolly e Laylla, ambas componentes do projeto “A Poesia indo à Escola”, música com Alice, jovem estudante de Santa Rosa do Ermírio, moda de viola com seu Humberto e seu José e a professora e ciclista Jaqueline expressou a agonia dos(as) professores(as) diante de um(a) estudante autista, porque na formação não há nenhum preparo para atender a essa demanda, cabendo ao/à educador(a) procurar cursos que possam ajudar a educar estes sujeitos. Assim, destaca a necessidade do poder público oportunizar curso de formação para os (as) professores(as) que compõem a rede municipal ou estadual.

A edição do Sarau no Coreto foi prestigiada por crianças, jovens, adultos(as) e idosos(as) monte-alegrenses; professores(as), estudantes e equipe diretiva do Centro de Excelência Profª Noêmia de Souza de Santa Rosa do Ermírio; vereador Robson Soares (Bicinho da Society), Anneth Shaparral da Academia Canindeense de Letras e Artes (ACLA), ex-prefeito Edmilson Canuto, ex-vereador Acrísio Pereira entre outros(as).

Agradecemos a todos(as) que apoiam o Sarau no Coreto e estendemos o nosso agradecimento às pessoas que ajudaram a realizar esta edição (Suely, Martha Danielly, Jaqueline, ciclistas, professores(as), estudantes, palestrantes, pais, mães, Felipe Alves, Jandson Santos, Maria do bar e os músicos).

Que possamos aprender a partir da fala de Isac “ser diferente não é problema. Ser diferente pode ser esquisito, mas ser diferente é muito mais importante, é vida. O autista precisa de amor”.

Vida longa ao Sarau no Coreto! Mais acolhimento e menos discriminação!

Foto assessoria

Por Carlos Alexandre N. Aragão

  Editoria: