Alvo errado

Alvo errado
setembro 30 08:19 2019 Imprimir Conteúdo

A Justiça errou o alvo quando abriu guerra contra quem “planta” notícias falsas durante as campanhas eleitorais. O correto é punir com a perda do mandato e dos direitos políticos os safados que mentem cinicamente para os eleitores. Pior do que as fake news, tão temidas pelos candidatos, são as promessas feitas nas campanhas e jamais cumpridas. Portanto, a Justiça Eleitoral prestaria um melhor serviço ao país se fiscalizasse o cumprimento das propostas dos demagogos, que passam a campanha prometendo o céu e a terra ao cidadão. Como nas futuras disputas eleitorais o povo não lembra mais das promessas feita no passado, os mequetrefes voltam a repeti-las em troca de votos. Não se nega que as notícias falsas disseminadas nas redes sociais fazem um mal danado à sociedade, contudo bem menos do que as mentiras cabeludas contadas pelos maus políticos. Estes sim, deveriam ser banidos da vida pública. Homem, vôte!

Banco dos réus

O Tribunal Regional Eleitoral julga, nesta segunda-feira, os embargos declaratórios impetrados pelo governador Belivaldo Chagas (PSD) e a vice Eliane Aquino (PT). Os dois foram cassados sob a acusação de uso indevido da máquina pública. Chagas teria participado indevidamente durante a campanha de eventos do governo. A defesa dos condenados também quer anular o voto contra os dois, dado pelo presidente do TRE, desembargador José dos Anjos, porque um filho do magistrado teria atuado como advogado de acusação. Marminino!

Discriminação

Sempre que prende suspeitos por crimes menores, geralmente marginais pés de chinelos, a Polícia Civil de Sergipe convoca a imprensa para exibi-los como se fossem troféus. Na pior das hipóteses, distribui fotografias dos desgraçados. Não ocorre o mesmo quando os presos são figurões da sociedade. Por que será? Tingo, lingo, tengo, meu papagaio!

Risco de greve

O deputado federal Bosco Costa (PR) é o coordenador para o Nordeste da Frente Parlamentar Mista do Caminhoneiro. Segundo a colega Thais Bezerra publicou no Jornal da Cidade, ao tomar posse, Bosco lembrou que é caminhoneiro por profissão: “A minha habilitação tem 50 anos, e meu primeiro emprego foi dirigindo um caminhão”, frisou. O deputado sergipano alertou o presidente Jair Bolsonaro (PSL) para o risco de uma nova greve da categoria. Ele jura que os caminhoneiros autônomos não suportarão por muito tempo o baixo preço do frete e o elevado valor do óleo diesel. É vero!

Som alto

As pessoas que costumam promover eventos em residências com uso de som, devem ficar atentas à legislação. Segundo a Prefeitura de Aracaju, para evitar problemas é preciso ter uma Autorização Ambiental e respeitar o limite de emissão de sons. De 7h às 22h, o limite permitido é de 60 decibéis. De 22h às 7h, o som não pode ultrapassar os 50 decibéis. Do contrário, o equipamento pode ser apreendido pela Polícia Ambiental. Vixe!

Luto no sertão

Um infarto matou o vereador de Porto da Folha, Djalma de Chiquinho (PR). Ele se sentiu mal na madrugada de ontem, foi socorrido pelo filho, mas morreu antes de chegar ao hospital. Djalma deverá ser substituído na Câmara daquele município do sertão sergipano pelo suplente Tony, também do PR. Ah, bom!

Empurra-empurra

Embora muita gente ache estranho, é natural os partidos ameaçarem romper com os aliados se seus pré-candidatos majoritários forem preteridos. Esta é a fase de plantar verde para colher maduro. Ademais, os políticos sabem que se não abrirem os braços podem ser engolidos pelos mais afoitos, ficando fora da chapa majoritária. Apesar do empurra-empurra, a tendência é que, até as convenções do próximo ano, todos cheguem a um consenso. Então, tá!

Pé de guerra

Delegados e policiais civis de Sergipe estão em pé guerra. Tudo por conta de um projeto de lei propondo a valorização dos agentes. Os delegados são contra a nomenclatura “oficial de polícia civil” prevista no projeto. Também temem perder espaços nas delegacias. Esse desentendimento entre duas categorias que trabalham juntas pode criar sérios problemas para a segurança pública, principalmente se delegados ou policiais civis entrarem em greve. Crendeuspai!

Reformas em debate

E quem esteve proferindo palestra em Maceió foi o deputado federal Fábio Henrique (PDT). Para uma plateia formada por vereadores de Alagoas, o pedetista sergipano falou sobre as reformas da Previdência, Tributária e Política. De Sergipe, apenas Fábio e o deputado João Daniel (PT) votaram contra a famigerada reforma previdenciária concebida por este governo militar. Cruz, credo!

Eleição fácil

De um bebinho, numa bodega de Aracaju: “Rapaz, se os servidores fantasmas contratados pelo ex-prefeito João Alves Filho votarem em peso no candidato apoiado pelo DEM, o danado ganha a prefeitura da capital com um pé nas costas”. Quanta maldade!

Recorte de jornal

Publicado no jornal laranjeirense O Horizonte, em 29 de julho de 1885.

  Editoria: