Alessandro Vieira defende investigação sobre a alta de preços de combustíveis

Alessandro Vieira defende investigação sobre a alta de preços de combustíveis
março 02 12:37 2021 Imprimir Conteúdo

O líder do Cidadania no Senado, Alessandro Vieira (SE), destacou a importância de uma investigação sobre a alta de preços de combustíveis no País, em declaração à Agência Senado. Desde janeiro, o valor da gasolina vendida pela Petrobras acumula elevação de 34,7% e do diesel de 27,7% no mesmo período, mas os preços ao consumidor nos postos de combustíveis têm ultrapassado os reajustes determinados pela estatal.

“O aumento desenfreado nos preços dos combustíveis prejudica diretamente a população brasileira, que já carece com as dificuldades de transporte, seja ele público ou privado. Esse sistema de distribuição, que desampara os consumidores, impede soluções de fato que diminuam o valor dos combustíveis”, disse o parlamentar.

Membro da Comissão de Assuntos Econômicos, Alessandro Vieira é favorável a realização de uma audiência pública aprovada pelo colegiado para debater a existência de um suposto cartel formado por distribuidoras de combustível.  A comissão vai ouvir o presidente do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), Alexandre Barreto, sobre o tema, mas ainda sem data prevista para o debate.

Privatização dos Correios

Em entrevista à Radio Senado, Alessandro Vieira disse que o projeto de lei (PL 591/2021) que abre caminho para a privatização do serviço de correios deve ser visto com todo cuidado.

“É preciso garantir que as empresas que são patrimônio de todos os brasileiros tenham avaliação de preço corretos, e que se deduza de maneira muita clara se é estratégico fazer esse tipo de movimento no momento. Os Correios têm um histórico belíssimo, passou por problemas de gestão sérios e precisar ser muito bem avaliada. Então, essa medida parece apenas uma sinalização para o mercado após a intervenção na Petrobras [pelo presidente Bolsonaro para baixar o preço dos combustíveis] e não é uma medida que tenha efeitos concretos”, avaliou.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: