Ações do Município contra covid-19 apresentam um dos melhores resultados do país

Ações do Município contra covid-19 apresentam um dos melhores resultados do país
julho 13 05:00 2020 Imprimir Conteúdo

Ainda no mês de março, quando Aracaju sequer havia registrado casos da covid-19, a Prefeitura apresentou um Plano de Contingência para o enfrentamento à doença. O documento vem norteando as ações adotadas pela gestão desde então, as quais, na quarta-feira (8), foram reconhecidas pelo Ministério da Saúde como as que apresentam um dos melhores resultados do país.

“Quero parabenizar Aracaju porque é a cidade que apresenta o melhor resultado do país na região Centro/Norte/Nordeste. E é o melhor resultado do trabalho que temos por causa da dedicação total daqueles que estão envolvidos no enfrentamento, especialmente os profissionais da Saúde”, afirmou o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, durante videoconferência promovida pela Frente Nacional de Prefeitos.

O prefeito Edvaldo Nogueira se disse muito satisfeito com o reconhecimento do governo federal. “Fiquei muito feliz com o elogio que ele fez à nossa capital, de que Aracaju é uma das cidades com melhor desempenho no Nordeste. É uma alegria muito grande e sei que isso é fruto do trabalho das nossas equipes, dos profissionais da Saúde e também da sociedade, porque tomamos medidas corretas e fizemos  tudo o que estava ao nosso alcance para que evitássemos o caos na Saúde em virtude da pandemia”, afirmou.

Projetos

Entre essas medidas que o prefeito cita, está a implementação de um Hospital de Campanha como referência e suporte para casos suspeitos e confirmados de covid-19, o Cleovansóstenes Pereira Aguiar. Estruturada com o objetivo de ampliar a capacidade de atendimento da Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, a unidade tem porte para 152 leitos, dos quais 102 já se encontram ativos.

E há perspectiva de ampliação à medida que mais profissionais forem contratados, garantindo assim que os demais equipamentos de saúde já existentes na capital não se sobrecarreguem. Quando passou a receber pacientes, em maio, o hospital ofertou, inicialmente, 60 leitos. Entretanto, com o avanço do número de casos, e consequentemente de internações, a Prefeitura de Aracaju se antecipou e ampliou a capacidade de ocupação, com a ativação de mais 42 leitos.

Também foi ampliada a equipe multiprofissional, que atualmente dispõe de 478 profissionais, composta por médicos (107); enfermeiros (95); técnicos em enfermagem (149); psicólogos (6); assistentes sociais (10); nutricionistas (5); fisioterapeutas (35); farmacêuticos (34); e auxiliares de apoio da rede (37).

“Abrimos mais um chamamento público para contratação imediata de médicos emergencistas. São profissionais que irão aumentar a capacidade de atendimento das nossas equipes, profissionais que possuem experiência em Terapia Intensiva, e que assim como todos que atuam no HCamp, ofertarão um atendimento eficiente com o principal objetivo que é a garantia da vida”, afirma a secretária da Saúde de Aracaju, Waneska Barboza.

Atendimento específico

Além de disponibilizar a unidade temporária apenas para casos da covid-19, a Prefeitura ainda separou oito das 45 Unidades Básicas de saúde (UBS) para  atendimento exclusivo aos usuários com sintomas de síndromes gripais. A iniciativa atendeu à previsão de que seria necessário ter locais específicos para o atendimento de casos de sintomas leves e moderados, a fim de desafogar as unidades de pronto atendimento Fernando Franco e Nestor Piva e funcionar como um filtro para frear a doença.

“Se a sintomatologia for mais evidente, porém ainda leve, os suspeitos devem procurar uma das oito UBS distribuídas por toda a capital. A maioria dos casos pode ser resolvido nessa etapa, pois os Hospitais Municipais (Fernando Franco e Nestor Piva), apesar de trabalharem em regime de porta aberta, possuem uma estrutura pensada para aqueles com quadro sintomático mais grave, como dificuldade de respirar, por exemplo”, explica a secretária municipal da Saúde, Waneska Barboza.

As unidades de referência foram selecionadas de maneira a abranger as oito regiões de saúde de Aracaju: a UBS Augusto Franco, localizada no conjunto Augusto Franco; UBS Geraldo Magela, no conjunto Orlando Dantas; UBS Ministro Costa Cavalcante, no Inácio Barbosa; UBS Fernando Sampaio, no Castelo Branco; UBS Cândida Alves, no Santo Antônio; UBS Eunice Barbosa, no Coqueiral; UBS José Machado de Souza, no Santos Dumont, e a UBS Onésimo Pinto, no Jardim Centenário. Os pacientes têm acesso às unidades de domingo a domingo, das 7h às 20h.

MonitorAju

Criada como uma das primeiras ferramentas de enfrentamento à pandemia de covid-19, na capital, disponibilizada pela Prefeitura de Aracaju, ainda no mês de março, o MonitorAju já auxiliou quase 34 mil aracajuanos, acompanhando a evolução dos quadros de saúde de casos suspeitos e confirmados da doença, assim como passando orientações sobre os cuidados durante o isolamento domiciliar.

Há três formas de acesso ao MonitorAju: via telefone, pelo canal de atendimento 0800 729 3534 (que registrou 12.700 ligações); pelo site www.aracaju.se.gov.br/monitoraju (que teve 7.000 acessos); e no aeroporto da capital (atingindo 14.000 viajantes), onde é feito o cadastro dos passageiros que desembarcam na capital.

Fiscalização

Como a principal recomendação para evitar a proliferação do novo coronavírus é o distanciamento social, a Prefeitura de Aracaju também tem realizado, diariamente, a fiscalização de espaços públicos e de alguns serviços pontuais, como o trabalho dos ambulantes. Esse trabalho, desenvolvido pela Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), visa a evitar aglomerações.

Esse esforço é uma das frentes de atuação da empresa municipal com a perspectiva de manter a população resguardada do vírus, além de prestar a devida manutenção às áreas públicas, fazendo cumprir os decretos emergenciais de enfrentamento ao novo coronavírus.

“O trabalho de fiscalização é ininterrupto. Trabalhamos para manter a ordem, tanto das atividades liberadas como aquelas que não foram, a exemplo do comércio ambulante, praias e orlas, dentro do que é de competência da Emsurb. Há locais em que procuramos atuar de maneira mais categórica, mais enfática, para chamar a atenção dos comerciantes, mas, sobretudo, da população que tem papel importantíssimo para que possamos diminuir o contágio”, ressalta o presidente da Emsurb, Luiz Roberto Dantas.

Ao todo, cerca de 20 fiscais atuam, diariamente. “A fiscalização é de extrema importância para manter a vigilância e coibir as aglomerações tão prejudiciais nesse momento. Esse trabalho, assim como tantos que vêm sendo realizados pela Prefeitura, tem um objetivo mais de prevenção. Nosso intuito, nesse período de pandemia, não é prejudicar ninguém, pelo contrário, é o de proteger”, alerta.

Além do Centro e demais áreas comerciais da cidade, a Emsurb monitora e fiscaliza ainda o cumprimento de outras medidas estabelecidas pela gestão municipal, por meio do Comitê de Operações de Emergência, para restringir a circulação de pessoas nas ruas. Entre elas, a suspensão das atividades de embarque e desembarque na Orla Pôr do Sol e do acesso à praia do Viral, seja terrestre ou fluvial.

Desinfecção

Para diminuir a possibilidade de proliferação do novo coronavírus na capital sergipana, a Prefeitura de Aracaju, também por meio da Emsurb, está desinfetando, desde o mês de março, espaços públicos e locais de aglomeração ou movimentação constante de pessoas. De lá para cá, o procedimento de desinfecção já foi realizado mais de 300 vezes.

O serviço contempla terminais de integração do transporte público, pontos de ônibus e de táxi, mercados, casas de apoio a idosos, cemitérios, áreas internas e externas de hospitais e clínicas, unidades básicas de saúde que atendem exclusivamente a pacientes com síndromes gripais, órgãos de segurança pública, entre outros locais.

A desinfecção começa pela varrição de todo o local; em seguida, é feita uma lavagem com sabão geleia, que é um produto desinfetante, e, logo após, é aplicado o hipoclorito de sódio, um antibactericida e esterilizante. Para a realização desta ação, 60 agentes foram treinados e atuam na limpeza, utilizando equipamentos de proteção individual, óculos, máscara com filtro para gases, luvas, macacão e respirador facial.

Foto Sérgio Silva

  Editoria: