História de faz de conta

janeiro 30 08:19 2019 Imprimir Conteúdo

O deputado estadual Jeferson Andrade (PSD) apressou-se em defender o governador Belivaldo Chagas (PSD) e o presidente do Tribunal de Contas, Ulices Andrade. Segundo línguas ferinas, os dois estariam interferindo na escolha da nova Mesa Diretora do Legislativo. “Nesta eleição não há qualquer interferência do governo e muito menos do TCE”, jura Jeferson, que vem ser filho do Ulices e tenta se reeleger 1º secretário do Parlamento. Alguém pode até suspeitar que o Executivo queira meter o bedelho nesta eleição, mas nunca o sisudo Tribunal de Contas. Ora, um mero órgão técnico como é o TCE não tem força política para se intrometer neste tipo de disputa? Por que os deputados estaduais iriam aceitar calados palpites de quem não entende e até abomina política? Isso só seria possível se os senhores conselheiros usassem as fiscalizações e os processos investigados por eles para pressionar políticos aliados dos deputados. Como isso nunca aconteceu em Sergipe, fica claro que esta conversa sobre interferência do governo e do TCE na eleição da Assembleia não passa de uma história de faz de conta. Chega a ser até um aleive. Misericórdia!

De fininho

Derrotado na disputa para o Senado, o pastor Heleno Silva (PRB) tenta se aproximar dos governistas. Depois de se encontrar com o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD), o reverendo bateu um longo papo com o senador eleito Rogério Carvalho (PT). As conversas dos três versaram sobre as eleições de 2020 e 2022 quando Heleno espera já ter sido aceito pela maioria dos governistas. O difícil vai ser o pastor convencer o ex-governador Jackson Barreto (MDB), que deseja vê-lo pelas costas. Aff Maria!

Conversa mole

Não é verdade que o PDT sergipano pode ser presidido por Clóvis Silveira, ainda filiado ao PPS. Pelo menos é o que garante o vereador aracajuano Jason Neto, irmão do presidente estadual do PDT, deputado federal eleito Fábio Henrique. Jason disse ao Jornal da Cidade que os pedetistas estão discutindo com Clóvis sobre a ida dele para o partido, “mas não houve qualquer conversa para ele presidir o PDT”. Homem, vôte!

Pão e agua

Dos 35 partidos registrados na Justiça Eleitoral, apenas 21 terão acesso aos recursos do Fundo Partidário. 14 legendas deixarão de receber a grana porque nas últimas eleições não alcançaram a cláusula de barreira: 1,5% dos votos válidos. Portanto, os mais de R$ 927 milhões do Fundo serão divididos entre os seguintes partidos: PSL, PT, PSDB PSD, PP, PSB, MDB, PR, PRB, DEM, PDT, PSOL, NOVO, PODE, PROS, PTB, AVANTE, PPS, SOLIDARIEDADE, PSC e PV. Ficarão a pão e água as legendas Rede, Patriota, PHS, DC, PCdoB, PCB, PCO, PMB, PMN, PPL, PRP, PRTB, PSTU e PTC.  Crendeuspai!

Mãe Joana

A CPI da Saúde realizada pela Câmara de Aracaju concluiu que o Hospital de Cirurgia era uma casa de mãe Joana. Os vereadores descobriram desvio de finalidade, uso indevido de verbas, leitos vazios, pacientes esperando há meses por atendimento e contradições sobre os pagamentos aos diretores do hospital. Segundo o presidente da CPI, vereador Seu Marcos (PHS), o relatório vai permitir tirar algumas dúvidas sobre a saúde pública de Aracaju. Então, tá!

Desarmados

A Polícia Militar de Sergipe não possui pistolas e coletes balísticos em número suficientes para todos os policiais. A grave denúncia é do coronel reformado Henrique Alves Rocha. O oficial também lamentou que, enquanto os PMs recebem um ticket-alimentação de apenas R$ 8, a Secretaria da Segurança Pública gasta R$ 13,44 por dia para alimentar um preso em delegacia. Cruz, credo!

Nome social

No Dia da Visibilidade Trans, celebrado ontem, a vice-governadora Eliane Aquino (PT) fez a seguinte postagem no twitter. “Muito me alegra que em nossas escolas estaduais, as pessoas transexuais e travestis podem e devem usar o nome social”. Lamentavelmente ontem, a Câmara Federal publicou a renúncia do deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ). Exilado no exterior após sofrer várias ameaças de morte, Wyllys foi o primeiro deputado gay assumido e tinha como principais bandeiras pautas relacionadas às causas LGBT e para minorias.

Beabá político

Enquanto aguarda em Brasília o dia da posse, o senador eleito Alessandro Vieira (PPS) participa do Curso de Gestão Estratégica para Mandatos Legislativos. Promovido pelo Movimento Acredito, o treinamento conta com a participação de 56 novos parlamentares. Entre outras coisas, eles estão aprendendo sobre temas ligados à atividade parlamentar e às reformas que deverão tramitar no Congresso, como tributária e da Previdência. Legal!

Contra calamidade

A hipótese de o governo de Sergipe decretar calamidade financeira preocupa a deputada estadual eleita Kitty Lima (PPS). Ela não acredita ser esta a melhor solução para tirar o estado do fundo do poço: “Assim como eu, toda a população espera que o governador Belivaldo Chagas resolva essa situação o mais rápido possível”, discursa Kitty. Mesmo sendo da oposição, a nova deputada promete ajudar Chagas na tarefa de recuperar as finanças estaduais. Será?

Relações cortadas

Não convidem para o mesmo palanque o ex-governador Jackson Barreto e o deputado estadual Zezinho Guimarães – ambos do MDB. O parlamentar está tiririca com JB a ponto de dizer que jamais fará política com ele. “Em Sergipe é assim: quando você serve, é a melhor pessoa do mundo, mas quando diverge deixa de prestar”, reclama Zezinho. Ele garante que na primeira oportunidade deixará o MDB de Jackson. Cruzes!

Recorte de jornal

Publicado no jornal Correio de Aracaju, em 24 de novembro de 1909.

Resumo dos Jornais

  Editoria: