1º dia de Natal da Gente Sergipana é um convite ao resgate dos tradicionais natais

1º dia de Natal da Gente Sergipana é um convite ao resgate dos tradicionais natais
dezembro 15 07:53 2019 Imprimir Conteúdo

A programação continua até 21 de dezembro com muitas atrações culturais, parque de diversões e feirinha da gente

Um museu cheio de novidades e uma praça repleta de referências cotidianas formam, a partir deste sábado, 14, um palco único para celebrar essa época do ano com tanto simbolismo e magia: o natal. Até o dia 21, o convite do Museu da Gente Sergipana Gov. Marcelo Déda é para reviver os tempos de outrora, em família e entre amigos, com os encantos das luzes, dos sons e dos afetos. É Natal da Gente Sergipana, um evento que também celebra os 8 anos do museu. A realização é do Instituto Banese e Governo de Sergipe, com o patrocínio do Banco do Estado (Banese), Banese Corretora de Seguros e Banese Card, e apoio da Prefeitura de Aracaju.

Como um cenário de revisitação às décadas passadas, onde as comemorações de fim de ano aconteciam em parques e praças públicas, o Museu da Gente Sergipana e a praça Camerino estão sob as luzes das gambiarras e dos pisca piscas e contam com a animação do parque de diversões, da feirinha de natal e do presépio, tradicionais atrações que por muitos anos marcaram a infância de gerações de sergipanos.

É por isso que durante os oito dias do evento, essas atrações proporcionarão diversas sensações aos públicos de todas as idades e lugares. “É muito bom sentir esse clima de natal como antigamente. Primeira vez que o evento acontece também na praça e está sendo glorioso e muito especial”, afirma Telma Monteiro, acompanhada de D. Maria Viana Costa, 93 anos, e Dionê Viana. Várias gerações juntas vivendo o Natal da Gente Sergipana.

Esse retorno ao passado também conta com autos de natal e com filarmônicas. Bem representadas nesse primeiro dia de programação pelo grupo Mamulengo de Cheiroso, que apresentou o espetáculo ‘Pastoril de Cheiroso’ e pela Filarmônica Lira Santana, de Simão Dias. Para Augusto Barreto, fundador do Mamulengo de Cheiroso, o resgate dos tradicionais natais é um ato de coragem do Instituto Banese. “Eu comemorava o natal com as quermesses, o carrossel, a roda gigante, os barcos. Vivenciei pastoril, queima de Lapinha e ver isso acontecendo aqui no museu é de um valor impressionante para que todos saibam que isso existiu e pode permanecer. É um ato de coragem”, afirma.

A família de Aline Castro, mãe das pequenas Natália, Caroline e Cecília, resumem a festa de natal do museu como um resgate não apenas dos tradicionais natalinas, mas dos sentimentos que envolvem essa época. “Estou sempre nos eventos do museu, inclusive nos natais, mas esse ano está sendo especial. A gente sente um aconchego, relembra a tranquilidade das festas do interior”. Já Caroline e Natália demonstraram total encantamento pela roda gigante.

A repercussão do público só comprova que o projeto do Instituto Banese e do Governo de Sergipe ao realizarem o Natal da Gente Sergipana está sendo alcançado desde o primeiro dia de programação. O diretor superintendente do Instituto Banese, Ezio Déda, reforça o objetivo da programação desse ano. “Através do Museu da Gente Sergipana, o Instituto Banese está sempre contribuindo com a preservação do patrimônio cultural de Sergipe, mas ao mesmo tempo nos reinventamos para proporcionar ao público, de forma mais atrativa, um encontro com a sua identidade. É isso que estamos fazendo a partir de hoje com a programação do natal. Oferecendo ao público opções de diversão, de troca de experiências que proporcionem uma volta ao passado tendo como instrumento para isso algumas novidades como uma roda gigante”.

Para a vice-governadora Eliane Aquino, o Natal da Gente Sergipana é uma realização do que está na memória afetiva dos sergipanos. “Esse lugar e essa programação são um resgate dos natais que a gente escuta sempre os sergipanos e sergipanas contarem. Os encontros nas praças, a decoração com referências natalinas, as reuniões em família tudo isso poderá ser relembrado e revivido durantes esses dias de Natal da Gente Sergipana. Que possamos aproveitar essa programação preparada com todo cuidado pelo Instituto Banese para o povo sergipano”.

A programação continua até o próximo sábado, dia 21. Nos dias de evento o Museu da Gente Sergipana funcionará em horário diferenciado, das 16h às 22h. Toda a programação é gratuita e para todos os públicos. Informações detalhadas estão redes sociais do Museu da Gente Sergipana.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: