Sergipe passa a ter novo sistema de monitoramento eletrônico nas rodovias estaduais

junho 11 09:13 2022

Sergipe passa a ter novo sistema de monitoramento eletrônico e realiza blitz nas rodovias estaduais

O Governo de Sergipe, por meio do Departamento Estadual de Infraestrutura Rodoviária de Sergipe (DER), realizou, nesta sexta-feira (10), uma blitz educativa com o auxílio do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRV), para alertar os condutores de veículos sobre o novo sistema de monitoramento eletrônico nas rodovias estaduais. A ação aconteceu na rodovia Inácio Barbosa (SE-100), antiga José Sarney, paralela ao novo cartão postal de Sergipe, a Orla Sul, e principal via de acesso aos litorais Sul sergipano e Norte baiano.

O objetivo do equipamento, segundo o tenente-coronel Deny Ricardo, é melhorar a trafegabilidade e garantir a segurança de condutores de veículos e pedestres, para diminuir e prevenir os acidentes de trânsito. “O Governo do Estado, preocupado com o aumento gradativo do número de acidentes nas rodovias e para fechar o ciclo de segurança desse grande sistema, mune o DER e a Polícia Militar com equipamentos cada vez mais modernos, para que a gente possa controlar o excesso de velocidade nas rodovias. No caso dessa rodovia aqui, ela é de suma importância porque é uma rodovia que liga os nossos moradores com uma região de praia que, também, é muito visitada por turistas”, disse.

O autônomo Marcel Rabelo também falou da importância dos equipamentos para segurança na via. “Essa nova fiscalização é muito necessária, inclusive, com essa via toda recuperada, a tendência era que as pessoas excedessem ainda mais a velocidade, o que se torna perigoso. Esses radares vão coibir os infratores”, expôs.

A expectativa dos órgãos de trânsito, ainda, é que as informações obtidas, através dos equipamentos móveis e fixos, sejam utilizadas, de forma a planejar, as operações volantes, possibilitando o aumento da assertividade na fiscalização pontual. Além de permitir estudos de tráfego, análise de peso de carga, coleta de placas para antecipar ocorrências policiais e também auxiliar no trabalho da Segurança Pública.

Assim, os sensores e sistemas de análise de vídeo em tempo real irão, também, ajudar os agentes estaduais a identificar irregularidades, otimizando recursos públicos. Será possível, por exemplo, montar barreiras virtuais dentro de uma mancha urbana ou município para identificar, com antecedência, pessoas que tenham a intenção de praticar algum tipo de delito. Já que outra característica dessas fiscalizações será a geração de alertas de irregularidades como furto/roubo ou busca e apreensão no Centro de Controle Operacional, proporcionando ao agente acionar apoio mais próximo para abordagem do veículo.

“Sergipe inaugura um novo momento em termos de monitoramento de rodovias estaduais. Primeiro, com a experiência em duas rodovias, a Rota do Sertão e, aqui, a rodovia Inácio Barbosa, uma experiência além do sistema de controle de velocidade através de radares, pois haverá também um sistema de monitoramento por câmeras, interligado a todo sistema de Segurança Pública, que vai controlar a entrada e saída de veículos no estado, com acompanhamento de placas, capacidade de fazer prisão em flagrante, capacidade de detectar veículos suspeitos e fazer cerco eletrônico, inclusive de consulta automática de placas de veículos”, salientou o superintendente Especial de Comunicação, Givaldo Ricardo.

Acidentes

Além de garantir a segurança, o Governo do Estado também propõe com esses medidores de velocidade reduzir os impactos sociais e econômicos negativos, decorrente dos acidentes de trânsito, mantendo uma tendência decrescente dos indicadores, ampliando sua implantação em trechos considerados críticos e, com isso, reduzindo o quantitativo de quebra-molas (redutores de velocidade) a fim de garantir melhor fluidez no tráfego.

Quem também comemorou a nova fiscalização dos radares foi o coordenador médico do pronto-socorro do Hospital Urgências de Sergipe Governador João Alves Filho (Huse) e médico do Samu, Ícaro Cardoso. Segundo ele, com a flexibilização das medidas restritivas da pandemia e várias festas acontecendo no período de junho, houve um aumento na quantidade de pacientes que deram entrada vítimas de politrauma, o crescimento atual gira em torno de 40% nas últimas semanas.

“Esse tipo de acidente tira da fila os pacientes que já vinham com cirurgias programadas, para que possamos atender casos de maior urgência. Esses são pacientes mais graves, às vezes, pacientes que vão também ficar com um membro amputado. Então, é bom a conscientização da população em relação ao uso do cinto de segurança, a velocidade na hora de ir nas estradas e essas estradas precisam de reforços como esses”, concluiu o médico, que parabenizou o Governo do Estado pela nova fiscalização.

Campanha educativa

Ao todo, são quatro equipamentos eletrônicos de fiscalização de velocidade fixos na rodovia, somando-se a outros cinco radares móveis que ajudam a coibir o excesso de velocidade. “Nós vamos fazer uma campanha a partir de hoje, durante 30 dias, e depois do próximo dia 10 de julho será feita verdadeiramente a autuação de pessoas que insistem em não respeitar as leis de trânsito. Vamos estender essa campanha para as rodovias onde já estão sendo instalados esses equipamentos para que o pessoal do interior também tome essa consciência, não só através da imprensa, mas fisicamente, in loco”, informou o gerente de trânsito do DER, Geraldo Mota.

Ao lado de sua esposa, o funcionário público José Aragão passa frequentemente pela rodovia. Segundo ele, que acompanhou toda a instalação dos equipamentos, a ação realizada na região é necessária. “Sou completamente a favor, quando acontece primeiramente a divulgação ou orientação e, posteriormente, a punição para quem não acata as regras. O aumento da velocidade pode causar mais riscos de acidente e com a velocidade reduzida, teremos mais longevidade, podemos apreciar a paisagem à nossa volta”, afirmou.

“É todo um trabalho conjunto do DER, da Polícia Militar, da Polícia Civil, que muitas vezes vai precisar desses dados e de todo o sistema de segurança pública do Estado. Não é simplesmente o monitoramento de trânsito, mas, o monitoramento de segurança”, finalizou o superintendente Givaldo Ricardo.

Fonte: ASN

  Editoria: