abril 21 09:33 2022

 

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) participou nesta quarta-feira, 20, de uma reunião com representantes do Ministério da Saúde (MS), através do Instituto Fernando Filgueiras (IFF)/Fiocruz para dialogar sobre estratégia de fortalecimento da Rede Materno-Infantil do Estado. Tais ações têm como objetivo diminuir a mortalidade materna-infantil no Estado, através da qualificação dos atendimentos obstétricos e aos recém-nascido nas maternidades.

Na reunião, que ocorreu de forma remota, estavam a secretária de Estado da Saúde, Mércia Feitosa, bem como representantes das áreas técnicas da SES e da Secretaria de saúde de Aracaju, representados pela área da Saúde da mulher, da Saúde da criança e da Atenção Especializada e de Urgências.

Houve uma apresentação pelo Instituto Fernando Filgueiras do desenho da Rede Materno-Infantil do Estado de Sergipe. “O principal objetivo da reunião foi apresentar o desenho da Rede Materno-infantil do Estado de Sergipe e discutir possibilidades para melhorias para a garantia do acesso à assistência em tempo oportuno, o que impactará na redução da mortalidade materno-infantil. Foram apresentadas dados sobre leitos obstétricos, neonatais e de UTI” disse Mercia Feitosa, secretária de Estado da Saúde.

O Ministério da Saúde, através do IFF/FioCruz, executa o Projeto QualiNEO, estratégia para qualificar a assistência ao recém-nascido, com ampliação para atenção obstétrica, nas maternidades, reduzindo as taxas de mortalidade neonatal e materna. Sergipe é um dos Estados que aderiu ao projeto desde 2017. Em Sergipe o projeto é desenvolvido nas Maternidades Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), gerenciada pela SES, e na Maternidade Santa Isabel, maternidade contratualizada pelo município de Aracaju.

“É importante frisar que o projeto QualiNEO foca em três eixos principais, o eixo de fortalecimento das competências, gerenciamento e gestão nas Redes, o eixo da qualificação das práticas clínicas e o eixo do monitoramento e avaliação, voltado ao processo de qualificação da assistência neonatal e obstétrica. Com isso o que queremos é melhorar a assistência materno-infantil em Sergipe”, destaca a coordenadora estadual de Políticas de Atenção Especializada e de Urgências, Neuzice Oliveira Lima.

Foto assessoria

  Editoria: