15 de fevereiro: Dia Internacional de Luta Contra o Câncer na Infância

15 de fevereiro: Dia Internacional de Luta Contra o Câncer na Infância
fevereiro 12 06:22 2021 Imprimir Conteúdo

A próxima segunda feira é o Dia Internacional de Luta Contra o Câncer na Infância. Fundado em 2002 pela Childhood Cancer International (CCI), a data é celebrada em todo o mundo a cada ano no dia 15 de fevereiro. Nesta quinta(11), o Ministério Público do Estado de Sergipe (MP/SE), por meio do Centro de Apoio Operacional da Infância e Adolescência (CAOpIA), realizou uma reunião via plataforma Meet com as entidades locais que prestam assistência a crianças e adolescente com câncer. A Associação dos Voluntários a Serviço da Oncologia em Sergipe (AVOSOS) foi convidada a se somar à ação do MP/SE e participar da campanha que será realizada na próxima segunda. Também participaram da reunião representantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

O presidente voluntário da AVOSOS, fundador Wilson Melo, foi o primeiro convidado das instituições participantes para falar sobre o câncer infantojuvenil, o papel da instituição e as dificuldades enfrentadas. “A AVOSOS existe há 34 anos para suprir as necessidades diárias de crianças e adolescentes com câncer, sem substituir o papel do Estado. Precisamos urgentemente criar protocolos. É simples! Por exemplo, quando a criança chega às unidades básicas com sintomas que podem indicar um câncer, o que é feito? Para onde ela é encaminhada? O câncer avança rápido na criança. Precisamos agilizar os exames para que ela inicie o tratamento. O primeiro degrau é o diagnóstico precoce”, informa Wilson Melo.

Segundo a promotora Talita Cunegundes Fernandes da Silva, diretora do Centro de Apoio Operacional da Infância e Adolescência (CAOpIA), a reunião on line com as entidades foi importante na soma de esforços em prol de crianças e adolescentes com câncer. “As instituições convidadas conhecem bem o sistema e são bem intencionados. Foi um momento importante de escuta de todos com a intenção de buscar soluções. Eles vivenciam na prática os problemas destes jovens e este diálogo nos permite buscar formas de melhorar o atendimento. Fizemos uma série de registros da reunião que vão servir para a nossa campanha do próximo dia 15 e também para encaminhamentos aqui no MP/SE. O trabalho técnico alinhado a esta sensibilidade, Sr. Wilson, faz toda a diferença no trabalho das instituições”, pontua a promotora.

A assistente social da AVOSOS, Sara Mônica Andrade, pontuou a importância da ampla divulgação dos sinais e sintomas do câncer infantojuvenil e também sobre as dificuldades enfrentadas no dia-a-dia. “A Rede Primária precisa ter mais agilidade na realização dos exames. As mães chegam a AVOSOS reclamando das dificuldades de realização dos exames, da demora, dos custos… Quanto mais rápido se esclarece o diagnóstico, maiores as chances de cura da criança e do adolescente em caso de câncer. No período de pandemia mantivemos o nosso trabalho, claro, pois o câncer não para. Temos aqui uma pediatra que faz os encaminhamentos ao HUSE no diagnóstico precoce”, revela a profissional.

Por Waneska Cipriano

  Editoria: